Erótica um Espetáculo Provocante

Erótica aborda de uma maneira cômica e crítica, o universo do erotismo. Em 70 minutos de espetáculo sexo e erotismo são pano de fundo para as divertidas esquetes, criadas e dirigidas por Marco Fentanes.




PEÇA PARA ADULTOS FEITA POR CRIANÇAS

Uma peça provocativa, feita por cinco crianças aventureiras para uma platéia de adultos. Elas pensam, dançam e atuam Hamlet a partir das próprias experiências de vida, a partir da condição singular de cada uma. >>> CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 10 anos <<<




Be Bowie

Be Bowie é uma banda tributo ao um dos maiores ícones da cultura pop: David Bowie. O objetivo é trazer ao público um pouco de cada fase desse artista camaleão. Com figurinos teatrais e intervenções cênicas, o repertório passa pelos clássicos e como Space Oddity, Rebel Rebel e Let's Dance, mas também traz canções de fases mais experimentais e não tão famosas do cantor. A narrativa escolhida para o espetáculo é a de interação com público, trazendo já no próprio nome da banda, um convite para que cada pessoa da platéia encontre o Bowie que mais lhe representa.




O LUAR QUE NOS ABRIGA

A peça mostra o confronto entre dois típicos personagens urbanos, um morador derua e um vigilante noturno, onde se estabelece um jogo de forças, enfatizando temas como a solidão, as injustiças sociais, o abandono, a marginalização, a miséria humana e outras questões contemporâneas, ainda não resolvidas pelo homem.




MARTA, ROSA E JOÃO

Com texto e direção de Malu Galli, a peça tem uma história simples e direta. A jovem Rosa descobre que está grávida após uma consulta com uma taróloga. Além disso, a vidente aconselha que ela vá conhecer a mãe Marta, com quem nunca teve contato. Ao chegar, percebe que a mulher sofreu uma crise de pânico e, desde então, não sai de casa. Ela só recebe a visita de João, um passeador de cães, um rapaz com espírito livre.




Nos Tempos de Gungunhana

Nos tempos de Gungunhana é uma peça de teatro baseada na tradição oral dos contadores de histórias africanas, onde um único elemento se desdobra em vários personagens para, com a cumplicidade do público, retratar alguns episódios mágicos paralelos à vida do célebre rei tribal moçambicano Gungunhana.




SoloS

Se dessa vez nem Tauszig pretende fazer acompanhamento musical, nem Allan servir de coadjuvante, o que vemos então é uma divertida disputa, que serve de pretexto para um fértil encontro artístico. Um espetáculo inteiramente improvisado, onde cada cena é criada a partir do desafio de superar e de compreender o outro.




Cabaré Feminista

O Cabaré Feminista surge em 2017 da junção de mulheres integrantes de coletivos artísticos da cidade de São Paulo. Assim como outras experiências realizadas por mulheres artistas ao longo das quatro últimas décadas, o trabalho nasce como um manifesto - com canções e poesias que provocam a reflexão e o debate sobre a luta por igualdade de gênero. Este cabaré cênico-musical traz em suas composições uma denúncia e um alerta sobre os tipos de violência sofridas pelas mulheres, além de canções que propõem o questionamento em relação ao padrão social de comportamento imposto pelo patriarcado.




Uma Louça Quebrada e Nenhuma Roupa Lavada

Por meio de um jogo cênico intenso,  duas atrizes se multiplicam em diferentes mulheres e relatam trechos e passagens de suas vidas, abordando várias formas de violência contra a mulher. Composto por cenas curtas e fragmentadas, sem uma linha contínua linear, a dramaturgia é inspirada em pesquisas e depoimentos de mulheres que sofreram algum tipo de violência de gênero




Seis Graus de Etarismo

O Grupo Melhor Deixa apresenta um jogo-espetáculo que tem como protagonistas jovem solícitos em situações cotidianas que evidenciam as relações de preconceito com a velhice - um tipo de etarismo. As cenas podem trazer ao público uma sensação de familiaridade... quase um déjàvu. Com uma certa medida de humor, a peça Seis Graus de Etarismo levanta questões sobre o papel individual de todos nós na alimentação estrutural do etarismo.